segunda-feira, 21 de maio de 2012

O Pecado Capital Evangélico

Bom como a penúltima postagem repercutiu, recebi alguns emails e mensagens pelo Facebook. Alguns falaram que os pecados capitais não se aplicam a igreja evangélica, hoje vamos ver em alguns trechos colhidos aqui na própria internet que não é bem assim.


Os pecados capitais surgiram na tradição da igreja cristã, no afinco de controlar e educar o povo no que podia ou não fazer. Como o perdão dos pecados precisava passar por um ungido da igreja, através de uma confissão, a igreja selecionou e classificou os pecados em dois tipos: os pecados que são perdoáveis sem a necessidade do sacramento da confissão, e os pecados capitais, merecedores de condenação ao inferno.
Mais tarde, os pecados foram classificados em Sete Pecados Capitais que precisavam ter uma atenção especial. A vaidade, inveja, ira, preguiça, avareza, gula e luxuria foram as sete classificadas por Tomás de Aquino.
E o que aconteceu hoje com os Sete Pecados Capitais para nós evangélicos?
Os mais eufóricos falariam que não temos os pecados capitais, pois, por um lado todos os pecados são condenados pela bíblia de igual modo e levam à condenação eterna, mas por outro, não temos mais intermediadores na confissão dos pecados, que pelo sangue do cordeiro de Deus, Jesus Cristo, todos que se confessam são perdoados.
Eu, particularmente, concordo com esta afirmação, mas acredito que isso só ficou nas confissões de fé. As nossas igrejas protestantes têm os seus pecados capitais claramente expostos nos históricos de pessoas disciplinadas de suas igrejas.
Se analisarmos a freqüência com que alguns pecados são repetidos nos púlpitos, vemos claramente uma seleção e um catálogo na ordem de importância. E que alguns pecados precisam sim de mediador, de alguém da igreja, para serem perdoados.
O sexo lidera a lista de pecados capitais evangélicos, talvez porque vivemos em um país que já perdeu há tempos todos os parâmetros do que é certo ou errado nesta área.Mas não tem como, o líder evangélico brasileiro pode cometer qualquer pecado, como vaidade, inveja, ira, preguiça, avareza e gula que  não será disciplinado ou cobrado por um pedido de desculpa em público. Mas ai daquele que pecar na área sexual, esse pecado não tem perdão, pelo menos para todos os evangélicos!
O pecado da bebida entrou no ranking sem mesmo estar na bíblia, não quero defender este mercado, por saber que existem famílias destruídas por homens que estão doentes em seus vícios e, até mesmo por eu detestar destilados. Mas quando é que beber qualquer coisa alcoólica virou pecado? E ainda mais um pecado capital? Como um dos maiores símbolos que Jesus nos deixou envolve uma bebida alcoólica? Ou alguém aqui acredita no conto da carochinha que o vinho não era fermentado?
Não quero amenizar este ou aquele pecado, muito pelo contrário, todos os pecados deveriam ser encarados como pecados capitais. Mas isso não acontece e sinceramente nem sei se da para acontecer.
O problema deste ranking que difere a importância dos pecados e que, a cada dia cresce mais com outros, que nem existem, é um problema soteriológico, um problema de entender o papel da graça na salvação.
Se começarmos a mostrar que a cada dia merecemos mais ir para o inferno com os nossos pecados, o caos é instalado, pois criaremos crentes depressivos, com auto comiseração, doidos e até psicopatas.
Mas se juntarmos esta consciência desesperadora que todos os pecados são capitais, com a graça de Deus em Jesus Cristo que nos perdoa mesmo que a cada dia provamos que merecemos o inferno. Ao invés de insanidade e loucura encontraremos o amor e a devoção que dará poder para a transformação.
Se continuarmos com os nossos pecados capitais particulares gospels e amenizarmos os outros,cairemos em uma religiosidade hipócrita onde uns são melhores que outros, e um evangelho vivido por fachada e, principalmente, cairemos na idéia de que só existe um pecado capital Evangélico: O pecado de ser pego, pois o resto ta valendo.
Nenhum pecado é menor que o outro!

sábado, 19 de maio de 2012

Curiosidades "Símbolos subliminares" - Logo da CGADB

Clique para ver maior
Ola, a todos os irmãos quero aproveitar para agradecer todos os acessos, pena que o pessoal não comenta muito as postagens.
Hoje vamos falar sobre símbolos subliminares e vamos começar pela logo da CGADB (Convenção Geral Assembleias Deus Brasil), sei que é assunto batido mas eu ainda não tinha tirado um tempo para analisar a logomarca e ao fazer constatei que realmente existem alguns símbolos colocados ali de forma subliminar e isso obviamente leva a algumas questões:



Quem foi o idealizador da logo ?
essa informação é desconhecida, mesmo apos consultar vários blogs  que já abordaram e questionaram a diretoria da CGADB sobre o criador, a pergunta permanece sem resposta.

Qual o verdadeiro significado?
existem varias explicações, que representa o dia de pentecostes, representa a trindade, representa o batismo por imersão e assim vai.

E por fim existem mensagens subliminares na logo, bom como a palavra já diz:
Mensagem subliminar é a definição usada para o tipo de mensagem que não pode ser captada diretamente pela porção do processamento dos sentidos humanos que está em estado de alerta. Subliminar é tudo aquilo que está abaixo do limiar, a menor sensação detectável conscientemente. Importante destacar que existem mensagens que estão abaixo da capacidade de detecção humana - essas mensagens são imperceptíveis, não devendo ser consideradas como subliminares. Toda mensagem subliminar pode ser dividida em duas características básicas, o seu grau de percepção e de persuasão.
Ao analisar a logo cheguei as seguinte conclusões.

olhem um pouco a logo original logo a cima no topo da postagem você pode clicar para ver maior para ter uma melhor noção, agora logo a baixo vemos o primeiro simbolo subliminar é a pirâmide maçônica ou illuminati e o olho que tudo vê ou olho de horus.

Sei que muitos vão falar que é apenas uma casualidade mas se for é uma casualidade infeliz e no minimo curiosa, porque veja que exite um alinhamento proposital na figura do meio o ponto e nas letra.

Bom, o segundo simbolo encontrado são três pontos, ao virar a imagem e 180º observamos os três pontos e uma letra M, apos alguns minutos lembrei de dois símbolos ligados aos três pontos. O primeiro é o simbolo do avental maçônico  e os três pontos usados para representar 'liberdade, igualdade e fraternidade'. 


Vamos ao próximo.
Acho que não tem muito o que explicar, e esse dias ao debater com amigos os símbolos ocultos na logo, um dos meus amigos me chamou a atenção sobre um quarto que não é bem um simbolo e sim uma representação de uma raposa.
A raposa toda a vez que é mencionada na bíblia esta ligada a pecado, mentira, traição e infortúnios diversos, 'Neemias 4:3, Ct 2: 15, Lucas 13:31,32 , Ne 4:1, dentre outas passagens'.

Pois é, sei que alguns devem estar me chamando de louco, outros alegando que é casualidade, etc. Mas que infeliz casualidade e curiosa como já citei a cima, isso deixa em aberto.
Foi sem querer ou  foi proposital? 
Quem fez? 
Que aprovou?
Porque o assunto mesmo sendo debatido em outros sites e blogs e o publico pedindo uma explicação a CGADB eles vem permanecendo em silencio sobre isso.

São varias perguntas ainda sem resposta, o fato é que todos os símbolos menos a raposa estão ligados a maçonaria e afins. Como disse não da pra sair condenando logo de saída mas vale lembrar:

(1 Tessalonicenses 5:22) - "Abstende-vos de toda a aparência do mal."

Bom vou encerrar por aqui a postagem, comentem, deixem sua opinião, ou se querem acrescentar algo fiquem a vontade.

Que Deus Abençoe a todos

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Deus x Mammon

Como depois do assunto das piramides financeiras recebi alguns emails perguntando sobre o mammon 'original', traduzido para o português 'mamon', alguns com duvidas outros questionando, ai vai um post abordando o assunto. Fiquem a vontade para comentar e questionar, ficarei feliz em responder.
Muitas pessoas pensam que dinheiro não é algo muito espiritual. Todavia, a Bíblia fala muito a respeito de dinheiro. Existe uma estatística muito interessante que comprova esse fato. No Novo Testamento existem 215 versículos que falam a respeito de fé, 218 versículos que falam de salvação e 2084 versículos a respeito de finanças e dinheiro.

Em outras palavras, o Novo Testamento fala dez vezes mais de dinheiro do que de salvação. As pessoas concordam que a salvação é um tópico muito importante, mas, das 28 parábolas de Jesus 16 falam sobre dinheiro.

Porque Jesus falou tanto a respeito de dinheiro? Será que Jesus estava atrás de dinheiro? Será que ele veio a esta Terra a procura de dinheiro? É claro que a resposta é não. Jesus não está interessado em dinheiro. Ele está interessado em nossos corações.
Se ele está interessado em nossos corações, então porque ele falou tanto de dinheiro? Simplesmente porque as pessoas possuem muitos tesouros e riquezas. E Jesus disse que onde estiver o nosso tesouro, ali também estará o nosso coração.
O coração sempre vai atrás do tesouro. Se existe algo que valorizamos e que é importante para nós, não importa o que seja, o nosso coração vai atrás dele.

A questão do ofertar não está em absoluto ligado apenas a prosperidade e a bênção, mas acima de tudo é uma questão de quem governa a nossa vida, quem é dono de nosso coração.
Jesus disse que não podemos servir a Deus e a Mamon. "Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas (Mt. 6:24)".
A Palavra usada no grego traduzida como riquezas nesse texto é "mamom". Ela não significa literalmente riqueza ou dinheiro. Jesus, nesse texto, está falando sobre duas coisas opostas: de um lado Deus e do outro lado mamon. Desta forma, se você serve a Deus; não pode servir a mamon, e se você serve a mamon; não poderá servir a Deus. São dois pólos antagônicos, opostos entre si.

Assim, se mamon significasse dinheiro, não poderíamos servir a Deus e ter dinheiro. Ter dinheiro ou uma conta no banco seria algo pecaminoso. Jesus nunca nos proibiu de ter dinheiro, por isso não penso que a palavra Mamon signifique  dinheiro.

Nos dias de Jesus existia o povo filisteu. Sabemos que todos os povos que viviam em Canaã adoravam muitos deuses falsos e os filisteus eram um deles. Os moabitas adoravam a Moloque, outros a Dagon, e ainda outros a Baal e a Astarote, mas os filisteus adoravam a um deus chamado Mamon. Era o deus a quem eles oravam buscando prosperidade.
Atrás de todos aqueles deuses havia espíritos demoníacos. Esses espíritos trabalhavam por detrás daqueles ídolos para desviarem as pessoas para longe de Deus. Esses espíritos queriam a lealdade do coração das pessoas. É por isso que Jesus disse: você não pode servir a Deus e a mamon.

1. Mamon é um deus (demônio ou espirito demoníaco):
Mamon é mais que as riquezas, são as nossas fontes. Mamon é um deus concorrente do próprio Deus verdadeiro. Observe como mamon atua como um deus fazendo aquilo que somente o Senhor Deus poderia fazer em nossas vidas.
a. Um deus que me dá segurança:
Há pastores que se sentem seguros com o dinheiro, mas não se sentem seguros com Deus apenas. Isto mostra quem é o deus de suas vidas. Imagine se você estivesse à meia- noite no centro de Tóquio sem falar uma só palavra em japonês e sem um centavo no bolso, mas eu lhe diria que Deus estaria ali com você. O que você sente? Uma tremenda angústia, não é mesmo?
O fato de saber que Deus estará com você não ajuda muito, mas agora imagine a mesma situação com a diferença de que você estará com um cartão de crédito sem limites. Você poderá ir para o melhor hotel, pagar um intérprete, um carro e qualquer coisa que você necessite. A angústia desaparece porque confiamos mais em mamon do que em Deus.

b. Um deus que exige de mim santificação e dedicação:
Você já reparou como se exige integridade, transparência daqueles que lidam diretamente com o dinheiro? Isto é porque Mamon é um deus que exige santidade a ele. De quem você exige mais caráter: do tesoureiro ou do obreiro? Normalmente, somos flexíveis com o caráter do obreiro, mas não aceitamos nem o mínimo tropeço de um tesoureiro.
Para mostrar que não servia a mamon, Jesus escolheu a Judas para ser o seu tesoureiro. Judas era ladrão. É como se ele dissesse, para mamon eu dou o pior.
E a dedicação? As pessoas se dedicam muito mais a mamon que a Deus. Se um líder fica doze horas no seu trabalho a sua esposa não se importa, mas se ele fica uma pouco mais na igreja ajudando ela logo questiona.
Tenho ouvido sempre críticas a respeito de pastores que trabalham muito. Mas veja, se um jovem abre um pequeno negócio e trabalha ali até catorze horas por dia, todos o elogiam como alguém de futuro, mas se um pastor trabalhar catorze horas por dia todos dirão que ele é irresponsável. Daí vemos que para mamon vale tudo, mas para Deus há restrições.

c. Um deus que exige o melhor:
Você já percebeu que os executivos são sempre os mais capazes e os mais bem treinados dentro da sociedade? Se alguém tão preparado vai ser um pastor todos ficam abismados. Se mandamos alguém se preparar tanto para servir a Deus todos se escandalizam.
O pensamento de Judas ainda prevalece hoje. É um desperdício gastar tanto com Jesus. Precisamos ver mais executivos, doutores e cientistas vindo servir a Jesus. Quem é colocado para ser pastor em sua comunidade? São os melhores, os mais capazes e bem treinados ou são aqueles que não servem para o mercado de trabalho? Não podemos servir a Deus e a mamon.

d. Um deus que determina o valor das coisas:
Se tenho dinheiro sinto que tenho valor. Se não tenho sinto-me sem importância. A minha auto-estima é proporcional ao dinheiro na minha carteira. Até o meu estado de humor depende do dia do mês. Quanto mais perto do dia do pagamento melhor fica o meu humor. Se mamon governa ele determina o valor das coisas e das pessoas.

e. Um deus que exige temor:
A maneira como mamon governa é por meio do medo e da ansiedade. Com receio de ficar sem dinheiro e passar necessidade, as pessoas vivem atormentadas pelo medo de mamon. Porque as pessoas perdem o sono à noite? Sobre o que elas ficam pensativas e muitas vezes ficam ansiosas? O dinheiro controla a maioria das pessoas. Mamon exige respeito.

f. Um deus que governa as circunstâncias:
Sempre que estou com uma pessoa do meu lado converso perguntando prá ela:
– O que você faz prá viver?
Depois que ela me responde eu prossigo perguntando:
– E você gosta do que faz?
Na maior parte das vezes elas respondem com um veemente não. Então eu as questiono:
– E porque você continua fazendo o que não gosta?
E a resposta é sempre esta: dinheiro. Ao responderem assim eles estão demonstrando quem é o senhor deles. Quando dizem: eu trabalho por dinheiro, estão na verdade afirmando: o dinheiro é o meu senhor, eu sirvo o dinheiro.
Nós nunca deveríamos trabalhar por dinheiro. Nós fomos planejados para trabalhar para Deus. O dinheiro deve ser o nosso servo e nós devemos servir a Deus. Não trabalhe por dinheiro; deixe o dinheiro trabalhar por você.
Não trabalhe pelo dinheiro, trabalhe por um visão, por um chamado de Deus. Se você foi chamado para fazer algo, então faça pela direção de Deus e não simplesmente por causa do dinheiro. A realidade é que mamon tem decidido qual profissão as pessoas seguirão.
É o dinheiro quem tem decide tudo na vida das pessoas. É mamon quem decide quantos filhos devo ter. Você já viu algum crente orando para saber quantos filhos deve ter? Eles dizem: a vida está difícil e pode ser que eu não consiga sustentar mais que dois. Quem decidiu? Certamente não foi o Senhor, foi mamon.
É mamon quem decide quando devo me casar. É mamon quem decide se devo ou não ir a uma conferência abençoada. É mamon quem decide se posso ou não ofertar. É mamon quem decide como devo tratar cada pessoa.
Mas a pior tragédia acontece quando mamon começa a decidir como devemos fazer a obra de Deus. Se deixamos de enviar missionários ou expandir a obra de Deus por causa de dinheiro, então vemos que não haverá mover de Deus naquela igreja.

g. Um deus que exige adoração:
Talvez você diga que nunca adorou a mamon, mas nós fazemos isso não com palavras, mas com atitudes.

A oração a mamon




Ó mamon como preciso de você. Se você está comigo sinto-me seguro, mas se vai embora fico angustiado. Consigo fico alegre, sem você perco o humor. Se está comigo sei que tenho valor, mas se você não está não tenho importância alguma. Por você faço qualquer coisa, qualquer sacrifício qualquer renúncia. Você é a minha realização e recompensa.

A Bíblia não diz que o dinheiro é mau em si mesmo. O dinheiro não é mau. O mau é o amor do dinheiro, como é dito em I Timóteo 6:10. O problema é quando o coração está apaixonado pelo dinheiro. Este é o verdadeiro problema. "Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores (I Tm. 6:10)".
Evitar o dinheiro não resolve o problema, porque o problema não está com o dinheiro, está com o coração. Não fomos chamados para evitar o dinheiro, fomos chamados para usar o dinheiro apropriadamente.

2. Mamon é um espírito atuante no mundo:
Um crente jamais se dobraria diante de uma imagem. Então, o maligno se esconde atrás do dinheiro para receber adoração.

3. Mamon é um deus imundo:
É uma verdadeira obra da graça o fato de Deus permitir que se traga dinheiro diante dele na vida da igreja. O dinheiro é uma das coisas mais imundas que existe.
Tenho visto alguns lugares 'igrejas evangélicas' onde se ensina que certas roupas ou objetos carregam espírito que podem ser transferidos para as pessoas. Invariavelmente, eles fazem um fogueira para queimar todos esses objetos instrumentos de Satanás. Todavia, eu nunca vi ninguém mencionar o dinheiro ou mesmo levá-lo para ser queimado. Mas, se existe algo como espírito de transferência; então, o dinheiro transfere um espírito a todos que tocam nele.
Pense na cédula que você está carregando. Pode ser que o dinheiro que você carrega no seu bolso foi recebido por uma prostituta como pagamento, por um travesti pelos seus serviços sexuais, ou como pagamento de propina e corrupção. Pode ser ainda que por causa dele alguém foi assassinado, ou seqüestrado ou pode ser que foi roubado ou furtado de alguém. Pode ser que por causa dele pais brigaram com filhos, esposas separaram de seus maridos. Imagine se esse dinheiro não foi colocado também numa oferenda ou num despacho numa encruzilhada. A mesma nota que andou por todos esses lugares está agora na sua mão, dentro do seu bolso e junto de sua família. Isto pode representar um sério problema espiritual.
Não estou sugerindo que você jogue seu dinheiro fora, mas que o santifique. Isto somente é possível pelo dízimo e pela oferta. Jesus disse que o altar santifica a oferta (Mt. 23:19). Quando você traz o dízimo, Deus santifica os outros 90% que ficaram com você.
Todavia, isso apenas realça a tremenda graça de Deus em permitir que você seja liberto do deus desse século, trazendo a ele uma oferta em dinheiro. Mas exitem um outro porem que você deve ficar atento, se for ofertar, oferte o que o seu coração mandar, entregue o dizimo como ensinado na bíblia '10%', nada de modinhas, correntes da prosperidade, invenções de falsos profetas, tome cuidado porque muitos por ai fazem deste versículo uma arma a serviço do próprio mamon, para arrecadar mais e mais e mais dinheiro.



Revisado do original: Biblioteca Meu Maná

sábado, 12 de maio de 2012

Piramides Financeiras, porque não ?! (Parte 2 - O Pecado)

Ola, hoje vou dar continuidade ao post anterior onde falei sobre o lado legal e penal do porque não aderir às famosas piramides financeiras. Hoje vamos ver porque um cristão não deve se envolver, participar, difundir ou recrutar novos membros.

Primeiro pegue sua bíblia e leia:

(1 Tessalonicenses 5:22) - "Abstende-vos de toda a aparência do mal."


Acho que o versículo em si é auto explicativo mas podemos melhorar:
(Mateus 7:15) - Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.
(João 14:26) - Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.
(João 14:21) - Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.
(João 10:14) - Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido.
(João 8:32) - E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

Agora que você já conhece a palavra vamos ver como ela se aplica.

A Aparência do Mal:

Vamos começar pela logo de uma famosa rede de soluções financeiras.
Aparentemente nada de errado, mas vamos virar em 180º
E agora ? Observamos que se assemelha muito a famosa pirâmide maçônica 
ou piramide illuminati.
Acho que agora fica mais claro, a imagem acima é um dos ornamentos de uma
loja 
maçônica, outra representação dela é o delta luminoso.
Incrível semelhança com a pirâmide maçônica ou piramide illuminati, delta luminoso e isso sem falar do olho de horus, vamos as definições: 
O olho de hórus faz parte dos símbolos dos Maçons, que para eles significa que eles estão sempre sendo observados por alguém, por um ser superior, pelo Grande Arquiteto do Universo. Às vezes, a Maçonaria coloca um triângulo no olho, pois eles tem uma preferência com o número três. Pirâmide com o Olho que Tudo vê, o Olho de Horus ou de Satanás: A Pirâmide é um simbolo muito valioso para os satanistas, e a Piramide com o Olho que Tudo Vê, no desenho das notas de dólar se notarem nela, há 13 carreiras de tijolos, 13, 13 famílias Illuminati. O olho de Horus, que no caso ali na pirâmide é os Illuminati, esta no alto pois podem ver toda a terra, e tem controle de tudo.



Delta (também é visto no simbolo
 do nível antares)

O DELTA LUMINOSO
Quarta letra do alfabeto grego. É o emblema da Tri-unidade. É o primeiro polígono. Tanto nas Igrejas Judaico-cristãs como nos templos maçônicos está geralmente envolvida de um “glória”, e centrada pela letra G. É o símbolo da tripla Força indivisível e divina que se manifesta como Vontade, Amar e Inteligência cósmicos ou ainda os Pólos positivo e negativo e o efeito de sua união. É às vezes figurado por três pontos (\) .




Outro fato 'curioso' que chama a atenção é que eles dão nomes aos 'graus' do associados, muito semelhante a maçonaria ! 
Baseados no numero de 'seguidores' ou associados que o elemento recruta, ele recebe um grau ou nível com nomes bem sugestivos, um dos graus é o antares quem por sua vez é simbolizado por uma piramide e uma estrela de oito pontas (octagrama), é a mesma estrela encontrada nos pisos onde são realizados os rituais nas lojas maçônicas.



Placa do nível ou grau antares 
Piso maçônico com a estrela de oito pontas ou estrela ardente (também conhecida como rosa dos ventos) 

Segundo a própria maçonaria ( site maçom ):  O octagrama ou estrela oito pontas é um símbolo de plenitude e regeneração, e é ligado a sistemas de oito pontas tal como trigramas do I Ching, a roda pagã do ano e o "Ogdoad" do Egito antigo.O delta luminoso ou Piramide: O triângulo é a figura geométrica que dá origem à pirâmide e ambos são parte da simbologia maçônica. O triângulo é símbolo da luz. Como o vértice para cima representa o fogo e a virilidade. Com o vértice para baixo representa a água e o sexo feminino. O triângulo eqüilátero é usado como símbolo da divindade maçônica e representa os três atributos divinos: força, beleza e sabedoria, e também os três reinos: mineral, vegetal e animal. O triângulo com um olho no centro representa a onipotência, a onisciência e a onipresença divina; também conhecido como o olho que tudo vê de Satanás. 
O próprio nome antares já tem grande significado no meio maçônico  e afins : Segundo o site O Universo da Loja Maçonica - Faz parte das pinturas ornamentais da loja."No centro do teto, três estrelas da constelação de Órion. Entre estas e onordeste, ficam as Plêiades, Híadas e Aldebaram, a meio caminho, entre órione o Nordeste, Régulus, da constelação do leão; ao Norte, a Ursa maior, anordeste, Arcturus, a Leste, a Spica, da constelação de Virgem, a Oeste, Antares; ao Sul, Formalhaut, no Oriente, Júpiter, no Ocidente, Vênus, Mercúrio, junto ao Sol, e Saturno, com seus 9 satélites, próximo a Órion".


Outro nome como delta red  também é usado e como é de se esperar tem grande significado para os maçons e afins, como citei a cima na definição do simbolo delta luminoso.
Outro nível o omini cycle que se não me falha a memória tem algumas sub-divisões mas o símbolo é o mesmo com algumas pequenas variações:

Simbolo do nível omini cycle, agora notem logo abaixo
a semelhança com a cruz de malta.

'Casualmente' lembra a cruz de malta, diretamente ligada aos cavalheiros templários por ser seu emblema, em alguns círculos da maçonaria representa o mais alto grau e também é um símbolo do grupo moderno de Cavaleiros Templários.



O desenho possui varias variações se quer conferir clique aqui.
Também conhecida como cruz de São João, tem oito pontas, como símbolo místico significa as forças centrípetas do espírito, emblema da Ordem dos Cavaleiros de São João da Ilha de Malta. Também muito usada nas condecorações militares. 
Bom já sei que você deve estar pensando ai, poxa mas o cara tá direcionando apenas para essa 'empresa', fique tranquilo porque vou mudar o repertorio, antes veja mais esse exemplo.
Notem algo curioso , o simbolo do omini cycle na edição 37 tem 4 pontos na
edição  36 tem só 3 pontos!
Seriam os 3 pontos usados pelos maçons 'liberdade, igualdade e fraternidade' ?

Se você não sabe o que é:  maçonaria, cavalheiros templários clique nos links.

O Pecado (Adorando a outro deus):

 'ahh se não tem símbolos ligados a satanismo, maçonaria e illuminatis não tem galho'. 
Errado ! tem problema sim, lembra dos 7 pecados capitais em especial o numero 3 ?
Sei que deve esta falando ou pensando que isso de pecados capitais é coisa da igreja católica mas nesse caso serve para ilustrar a gravidade do problema.
Pois bem o terceiro pecado capital é a avareza e tem nome Mammon, de acordo com algumas fontes demonológicas, é filho de Lucifer e Lilith, o fruto primogénito do casal que governa os infernos. Mammon é um demónio relacionado com a avareza, que igualmente é responsável pela concessão de riquezas. 

Citado em textos bíblicos, Mammon seria um dos filhos de Lucífer e representando o 3º Pecado Capital estaria ligado à abundância, avareza e o culto à riqueza, sendo também um dos príncipe do Inferno. Recentemente, o filme “Constantine”, estrelado por Keannu Reeves Rachel Weisz, Shia LaBeouf, Djimon Hounson e Max Baker, abordou o tema em um enredo de ações supernaturais. Etimologicamente, a construção do nome “mammon” tem origem na língua aramaica, e quer significar riqueza, mas, ainda existem alguns estudiosos e críticos que sugerem conexões com os verbetes confiar ou ainda com a palavra hebreia matmon, que significa tesouro, simbolizando dinheiro.
Nos evangelhos de Lucas (16,13) e Mateus (6,24) o filho de Lucífer e Lilith, se personifica em símbolos da riqueza. Basicamente, os dois livros contam com as mesmas frases: “Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mammon”. Em algumas traduções da bíblia , Mammon também encontra-se personificado e descrito como a “abundância desonesta” ou equivalente. No dicionário, a figura de Mammon ainda é descrita como ganho mundano, deus da fortuna, que é considerado mal ou imoral.
Fisicamente, Mammon é relacionada a um nobre de aparecia destorcida e que traz consigo um grande saco de moedas de ouro, como a clássica ilustração do artista Collin Plancy (imagem acima). Assim, também é conhecido como capaz de subornar os humanos para ganhar suas almas. Também é retratado como uma espécie de Abutre, enorme pássaro negro, que possui dentes capazes de grande estrago. Para alguns, o Mammon é o demônio que impede que dízimos sejam feitos à igreja.



Acho que isso é o suficiente para um bom cristão temente a Deus, renascido que tem Jesus como seu 'único' salvador lembre-se: Jesus disse que não é possível servir a dois senhores, e deu exemplo entre servir a Deus e a riquezas (Mammon). 
Veja bem, o problema não reside em adquirir riquezas, mas na maneira com que isso é feito. No reino de Mammon não importa o custo, não importam os meios, desde que se acumule recursos, tudo é válido. O dinheiro toma o lugar de Deus na vida da pessoa que passa a idolatra- lo e servi-lo sem reservas.

A vida humana, o respeito à dignidade humana são colocados de lado em função de questões econômicas e com vistas a evitar possíveis prejuízos calculados caso as decisões de segurança fossem tomadas. Perde-se a noção de perigo e a de limites muito facilmente em face de cálculos que apontam as perdas financeiras. 


Uma das coisas que precisamos aprender em nossa conduta pessoal é detectar quando estamos agindo por esses princípios e rejeitá-los de imediato. Muitas vezes perder dinheiro será a decisão correta, outras deixar de ganha-lo também. Precisamos crer que Deus cuidará de nós a cada dia e não deixará que tenhamos falta de nada. Muitos de nós iremos adquirir riquezas, mas agindo debaixo de princípios do reino de Deus, onde reina a justiça que é uma árvore cujo fruto é a paz, e quando experimentamos essa realidade vivemos em alegria indizível e cheia de glória. Creia, é possível viver muito bem sem ter que priorizar ganhos financeiros a todo tempo. Muitas vezes recuar vai significar um avanço futuro. Muitas vezes perder será um grande ganho. Essa é a lógica no reino de Deus.

Eis uma lição sobre o que devemos fazer quando somos atingidos pela dor. Nenhuma mão humana é capaz de curar um coração ferido; é preciso entregá-lo a Deus (Lucas 4.18; Mateus 11.28-30).



Espero que isto seja o suficiente para você se dar conta do tamanho da encrenca, que esta pensando em se envolver ou já esta envolvido.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Pirâmides Financeiras, porque não ? (Parte 1)

Vamos começar abrindo os olhos para mais um perigo, dentre outros tantos que falaremos nas próximas postagens. Hoje vou falar de algo que vem se tornando comum dentro das igrejas evangélicas as famosas  pirâmides financeiras que vem se disfarçado de varias formas despertando o lado materialista e ganancioso das pessoas com propostas de dinheiro fácil.


Antes de mais nada quero deixar claro que o conteúdo a seguir é fruto de pesquisas em livros, documentos, revistas, sites e blogs da própria internet. Por isso se você tem algo a acrescentar ou sugerir uma correção sinta-se a vontade.


Mas você deve estar se perguntando o que tem de mal nisso ou porque é errado ou melhor ainda porque você deve fugir das famosas piramides financeiras ou piramides invertidas ou ainda "rede" de ajuda entre amigos nomes existem vários.
Bom vamos lá então!
Falando claramente porque você deve  fugir das piramides financeiras? porque é crime  previsto na lei: artigo 16 da Lei nº 7.492, de 1986de fazer operar instituição financeira sem autorização dos órgãos competentes.
Não se deve esquecer que o crime contra o sistema financeiro é antecedente ao de lavagem de dinheiro, conforme previsto no artigo 1º, VI, da Lei nº 9.613, de 1998.


Acho que isto já seria o suficiente para um "Crente", Cristão ou Irmão não querer se envolver pelo simples fato:


 "1 Pedro 2:13 - Sujeitai-vos a toda autoridade humana por amor do Senhor, quer ao rei, como soberano,...".


Sei que você deve estar pensando ou falando: mas se for assim então não posso baixar mais musica da internet, filmes, programas, etc. Veja bem lamentavelmente é errado! Mas atire a primeira pedra quem nunca baixou um mp3 ou filme que fique claro que não estou incentivando o download ilegal é apenas um exemplo, você já baixou e provavelmente vai continuar baixando "conteúdo protegido por leis de direitos autorais" mas voltando ao assunto tem uma grande diferença entre baixar um mp3 e cometer um crime contra o sistema financeiro não é verdade. ahhh mas não vai preso, vai sim veja você mesmo: 
PF prende, em MG, suspeitos de participar de pirâmide financeira
Civil prende 28 em operação contra fraude
Igreja era usada para lavar dinheiro de quadrilha, pastor foi preso
Pastores estariam envolvidos em golpe da pirâmide
Religiosos são presos por golpe da pirâmide
Dinastia: Agora Com o Selo Bernard Madoff de Aprovação
Se quer ler mais noticias sobre,  faça uma rápida pesquisa no Google tem varias noticias.
Pois é vai preso mesmo! 
Vejam nos comentários da segunda noticias tem alguns associados de uma famosa piramide   financeira bem conhecida que vem usando das novas técnicas para se disfarçar e passar quase desapercebida. Tem alguns comentários onde ele tenta focar exatamente no disfarce da "empresa de soluções financeiras" reparem que tentam defender a posição com unhas e dentes com explicações furadas. Faz alguns dias um grande amigo falou para mim exatamente assim " esse pessoal que se envolve com isso parece que entra para um religião", e lendo esses comentários não dá essa impressão?! 
Bom agora vamos só para refrescar sua memoria mostrar como funciona uma piramide financeira ou "GOLPE PONZI" o primeiro esquema de piramide financeira que se tem noticias.
Hoje em dia tem se usado de vários artifícios despistar a policia, já para atrair participantes é o mais fácil porque mexe com a ganancia a promessa de dinheiro fácil em alguns casos com bens materiais, casas, carros e outros.
Para despistar vem bem disfarçado de planos de previdência privada, seguro de vida, clube de descontos, construção de casas, compra de carros e acreditem até para assistir comerciais em vídeo pela internet.
Mas como ?
Simples assim!
Entendeu ?
Então se alguém te oferecer algo parecido que tenha que pagar mensalidades, franquias e tenha que levar novos candidatos é um sistema de piramide sim senhor.
Espero que neste ponto você já esteja convencido que não é legal em todos os sentidos da palavra se envolver com isso, mas se ainda tem duvidas talvez a próxima parte te convença. 
E seu eu te contar que tem mais coisas por traz das piramides financeiras lá no topo da tem alguém diretamente ligado seitas, adoração a mammon,  sociedades secretas que vão muito alem da maçonaria e chega até adoradores de Baphomet?
Continua, aguardem o próximo post...

domingo, 6 de maio de 2012

Quando a Assembléia era de Deus (Revisado)...

Ola, a todos que tem acessado o Blog, agradeço a visita e peço que voltem sempre!


Acho que já postei bastante coisa sobre seitas, símbolos, significados, fiquem tranquilos que tenho muita coisa aqui ainda, algumas reunidas da internet, outras de livros, em fim já falei ou melhor postei isso antes que aos poucos dentro do meu tempo livre tenho preparado material aqui para postar. Tenho tentado postar o material mais relevante para que saibam do que se trata quando for citado. Mas hoje vou colocar para todos algo que tem me entristecido muito.

Faz algum tempo que  ao conversar com alguns irmãos muitos não conseguem esconder sua revolta, desgosto, desaprovação, com a igreja que ao meu ver não tem mais nada de igreja, que pode ser chamada de tantas coisas que não vou nem tentar dar nome, em meio de tantas coisas como, individualismo(cada um por si e salve-se quem puder), brigas por poder, politicagem, ganancia, dinheiro, pastores que mais parecem ditadores e mercenários, teologias da prosperidade é uma coisa de garrafinha de aguá, toalhinha, corda, arco, porta, sal  e por ai vai, alguns membros se envolvendo com esquemas financeiros que claramente vão contra a lei e ninguém faz nada, mas como iriam fazer se estão apenas preocupados com, bom não da vale nem a pena falar porque todo mundo sabe do que estou falando apenas não falam nem fazem nada. Algum tempo fiquei estarrecido ao saber sobre dois pastores discutindo sobre a transferência de membros de uma cidade para outra onde um pastor questionava o outro sobre o valor do dizimo algo mais ou menos assim: "olha te mandei o fulano para ai o dizimo dele é tanto, você tem que mandar pelo menos uns dois ou três pra cá que cubram esse valor!", querem saber em que igreja isso foi ? Assembleia de Deus eu poderia até dar nome aos bois dizer cidade e tudo mais, mas não vem ao caso. Tem também os pastores que pensam que são pop star, outros que se levam a fazer redes de intriga e fofocas, outros vivem só passeando  e por ai vai. Eu sei que ninguém é perfeito eu não sou perfeito tenho tantos erros que se for listar! Mas um pastor um líder tem que tentar dar o exemplo.
Alguns dias atras esbarrei com esse artigo na internet dei uma revisada, fiz algumas correções acrescentei outras informações  e acho que é o suficiente para termos uma ideia do que realmente a Assembleia é hoje.






Centralização do poder econômico:

A Assembléia de Deus perdeu sua característica de comunidade simples e é uma das igrejas mais ricas do Brasil. Isso a torna semelhante ao Clero Romano que tanto criticamos por sua centralização de poder. Se parece com o sacerdócio do Antigo Testamento tão criticado pelos profetas de então.
Em nível nacional sua riqueza se concentra principalmente na CGADB – que tem como uma das principais fontes financeiras a CPAD (Casa Publicadora das Assembléias de Deus), cuja arrecadação se assemelha a de grandes editoras, como por exemplo, a Abril – e no Ministério do Belém, hegemônico entre os demais ministérios ligados à Convenção.
Estrategicamente esse império, formado principalmente pela CGADB e Belém, se concentra nas mãos de pouquíssimas pessoas, lideradas pelo pastor José Wellington Bezerra da Costa, na presidência simultânea das duas entidades há mais de duas décadas.


Hereditariedade do poder :
Vínculo com a política partidária:

Outro fenômeno que vem se reproduzindo nas últimas décadas, é a hereditariedade de poder nas esferas regionais. A nível de Brasil! É comum pastores presidentes de Campo prepararem seus filhos e genros para os sucederem ministerialmente. Por exemplo, no Campo de Presidente Prudente/SP o pastor presidente atual é João Carlos Padilha, filho do ex-pastor presidente Carlos Padilha. No Campo de Indaiatuba/SP o pastor presidente é Raimundo Soares de Lima que tem como vice-presidente e sucessor estatutário o próprio filho, pastor Rubeneuton de Lima, mais conhecido como Newton Lima. No Campo de Araçatuba o presidente é o pastor Emanuel Barbosa Martins e o vice-presidente é seu filho, Emanuel Barbosa Martins Filho. No Campo de Limeira o ex-presidente, pastor Joel Amâncio de Souza, fez como seu sucessor o próprio filho, pastor Levy Ferreira de Souza. Medida que foi pivô de considerável divisão na igreja.
Há uma grande possibilidade da hereditariedade de poder se aplicar em nível nacional, pois é de conhecimento dos pastores da CGADB que o pastor José Wellington prepara sua sucessão para um dos filhos, José Wellington Costa Junior, vice-presidente da AD em São Paulo, Ministério do Belém e presidente do Conselho Administrativo da CPAD.
Cabe uma pergunta em relação a isso: É Deus ou o homem quem escolhe o sucessor da presidência da igreja?

Sem transparência financeira:
Outra coisa que me intrigou foi descobrir que não é dado saber – senão a duas ou três pessoas da diretoria da Sede – nada sobre a movimentação financeira do Campo. Estima-se que num Campo como o de Campinas, por exemplo, a receita gire em torno R$ 1,5 milhão por mês. Não se sabe ao certo quanto entra e como é gasto o dinheiro; quanto ganha por mês o pastor presidente, pastores regionais e distritais. Recentemente ouvi de uma liderança leiga que o custo de manutenção do pastor presidente, no caso do Campo de Campinas, beira os R$ 60 mil mensais.
Sabe-se, no entanto que as congregações das periferias são pastoreadas por homens simples, que mal recebem ajuda de custo. Assim, muitos têm seus empregos para se sustentarem e os que não conseguem se empregar chegam a passar por privações e apuros financeiros. E isto não é caso isolado é em todo Brasil, todos estão carecas de saber que só entra para a folha da igreja "falando de forma administrava"  aqueles que melhor convém a fulano ou a beltrano ou porque é parente de ciclano, já os que realmente estão ali com o proposito real e puro de servir a Deus "Evangelizando, discipulando, ajudando de alguma forma", perecem. "Há alguns casos irmão congregados 'profissionais' em alguma areá estão se prontificando a ajudar a 'Igreja' ofertando serviços na sua areá e o que acontece o Pastor prefere contratar um de fora pagando caro, ao receber de graça como oferta, porque  sera ?" 

A explicação para a ocultação orçamentária é a segurança. Afirmam que não divulgam suas contas para evitarem assaltos. Isso não é verdadeiro, pois qualquer assaltante bem informado sabe que igrejas movimentam rios de dinheiro. E uma coisa é divulgar aos quatro cantos o quanto a igreja arrecada, expondo-a a riscos de roubos, outra coisa é manter seus membros informados do total coletivo das suas contribuições. Afinal, igreja não é empresa privada, que somente o dono tem acesso às suas informações financeiras.
Do ponto de vista legal as igrejas são associações civis regidas pelo Código Civil e como tais, segundo a legislação, devem prestar contas de sua movimentação financeira aos associados, que no caso da igreja são os seus membros. Por exemplo, o Artigo 59, Inciso III do Código Civil diz que “Compete privativamente à assembléia geral (...) aprovar as contas” da instituição. Como poderão aprovar (ou reprovar) as contas sobre a qual pouco ou nada se sabe? Ou como aprovarão se sequer participam das assembléias, em cuja pauta não se coloca em votação a aprovação financeira?
Do ponto de vista bíblico não há nada que se pareça com isso. Não há no Novo Testamento uma associação de igrejas com um presidente arrecadando os ingressos das congregações para administrá-los centralizadamente, se beneficiando de altos salários.
Entretanto, a falta de transparência financeira não é um “privilégio” exclusivo das igrejas e dos Campos. Recentemente o pastor Antonio Silva Santana, eleito em 2009 primeiro tesoureiro da GADB, renunciou alegando falta de acesso às principais informações de caráter fiscal e financeiro da instituição.
Quando não se lança luz sobre uma questão tão importante como esta, obscurece-se a verdade, dando margens a dúvidas. Por exemplo, pode-se perguntar se o dízimo dos contribuintes não foi usado nas últimas eleições para financiar campanhas políticas de pastores candidatos a cargos eletivos.


Não é preciso fazer nenhum esforço mental para perceber que estas características (centralização do poder econômico, hereditariedade do poder e falta de transparência financeira) são próprias das instituições contaminadas pelo abuso de poder, pela ganância, pelo nepotismo, etc. Trata-se de um quadro muito comum nas esferas da política partidária. Assim sendo, como “um abismo chama outro abismo” (Salmo 42.7), era de se esperar que a Assembléia de Deus refizesse (pelo menos tenta refazer), através de sua atuação político-partidária, o casamento entre a Igreja e o Estado, união responsável pelo apodrecimento da fé e cujo divórcio custou o sangue de mártires na História do Cristianismo.
Há atualmente em algumas igrejas a idéia de que “o povo de Deus precisa de representantes na política”.
O equivoco de se misturar poder político e igreja foi esclarecido por Cristo numa conversa com seus discípulos, narrada em Marcos 10. Tiago e João reivindicaram o direito de assentar-se com Jesus, um à direita e outro à esquerda do seu trono. Eles não haviam compreendido que o reino de Cristo não se daria na dimensão da política terrena. Para esclarecê-los Jesus lhes disse: “Sabeis que os que são considerados governadores dos povos têm-nos sob seu domínio, e sobre eles os seus maiorais exercem autoridade. Mas entre vós não é assim; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será servo de todos” (Marcos 10.42-44, com grifo do autor).
A fala de Cristo (grifada acima) sempre será atual. Alerta contra a centralização do poder econômico, a hereditariedade do poder, a falta de transparência financeira e outras mazelas. As instituições mundanas agem dessa forma, “Mas entre vós não é assim”.

Todas essas peculiaridades geralmente são justificadas pela “unção” recebida pelo “homem de Deus”, inclusive com uma equivocada interpretação do texto bíblico que diz “Não toqueis os meus ungidos, e aos meus profetas não façais mal” (1 Crônicas 16.22 e Salmo 105.15). Assim, um “ungido” centraliza o poder e designa-o a quem bem entende – geralmente aos filhos – e os demais ungidos e profetas aceitam sem nada dizer. Da mesma forma, se ele é um “ungido de Deus”, tem autonomia, à custa da heteronomia dos demais, para administrar as finanças da igreja sem delas ter que prestar contas? Por outro lado, os membros se isentam da responsabilidade de fiscalizar, pois acreditam que seu papel é apenas trazer os dízimos (Malaquias 3.10) sem se preocupar com o que será feito dele.
As semelhanças desse modelo com a política fisiológica, voltada para projetos pessoais, são muitas. Isso explica o casamento da igreja com a política partidária.


Apenas um procedimento:
A situação é tão complexa e preocupante que chega a casos extremos, alguns dias atras um amigo e irmão viajou a uma cidade do Rio Grande do Sul onde a santa ceia pelo que parece virou apenas um procedimento, onde você vai lá come um pedaço de pão, toma um gole de vinho e volta para casa!  Sei que é cruel colocar assim mas é o que parece. Alguém no púlpito falando palavras vazias sem mensagem nenhuma, quase como se fosse uma gravação, algo automático, nem para servir a ceia em si havia a organização necessária. E isso é apenas uma parte do problema, cultos que mais parecem reuniões para angariar fundos onde o que se faz é apenas pedir. Saindo do sul, também podemos ver esse comportamento e até pior, cultos onde não se ensina nada, não tem nenhuma palavra, se fica apenas mostrando fotos de viagens, oferecendo algo, vendendo algo, com pessoas individualistas de caras amarradas, em alguns casos desfiles de moda, isso sem comentar outros problemas 'já deixou algo no acento da igreja ? quando voltou estava lá ?'. 
Pode dizer que é crueldade e errado falar mal da igreja mas é que do jeito que a coisa vai em pouco tempo não vai ter mais pelo que se levantar e reclamar, não haverá uma igreja.

Partes do Artigo Original do :  Pastor Nelson Gervoni 

SEITAS SECRETAS - Os Templários


Abençoados e Amaldiçoados pelos Papas e Idealizados Pelos Maçons
A Ordem dos Cavaleiros Templários foi instituída em 1119 por Hughes de Payns, com a anuência papal de Urbano II, tendo como objetivo dar segurança aos lugares e templos sagrados de Jerusalém, que havia sido conquistada em 1099 pela primeira cruzada.
Em 1127, o Rei de Jerusalém, Balduíno II, pediu ao Papa, sanção papal para a nova Ordem dos Templários, e solicitou-lhe para definir a regra para a vida e conduta de seus membros. Regras e normas foram dadas e a Ordem dos Cavaleiros Templários passou a ser mais do que uma instituição militar, passou a ser uma ordem de Monges Guerreiros de Cristo. Votos de castidade, benção de armas e promessas de descanso eterno, caso morressem na batalha, eram algumas das indulgências concedidas aos cavaleiros de Cristo. Nesses cavaleiros estava incutida a idéia de que matar em nome de Deus era justificável e de que morrer por Ele, santificável. Parece que o Papa, para poder atingir mais facilmente seus ideais, usou a mesma filosofia islâmica da Jihad ou guerra santa, mas com uma roupagem ideológica cristã. O abade de Clairvaux, apoiado pelo papa, desfilou um discurso acalorado em favor dos Cavaleiros Templários dando-lhes autoridade para matar em nome de Deus:
"Na verdade, os cavaleiros de Cristo travam as batalhas para seu Senhor com segurança, sem temor de ter pecado ao matar o inimigo, nem temendo o perigo da própria morte, visto que causando a morte, ou morrendo quando em nome de Cristo, nada praticam de criminoso, sendo antes merecedores de gloriosa recompensa... aquele que em verdade, provoca livremente a morte de seu inimigo como um ato de vingança mais prontamente encontra consolo em sua condição de soldado de Cristo. O soldado de Cristo mata com segurança e morre com mais segurança ainda... Não é sem razão que ele empunha a espada! É um instrumento de Deus para o castigo dos malfeitores... Na verdade, quando mata um malfeitor, isso não é homicídio... e ele é considerado um carrasco legal de Cristo contra os malfeitores" (01).
Pouco tempo depois, no Concílio de Toeis, foram redigidos os estatutos dos templários, imitando a ordem de São Benedito, porém os cavalheiros eram de precária religiosidade, quebrando em pouco tempo todos os votos, incluindo os de pobreza e castidade, tendo como alegação a riqueza e o harém de Salomão. Um grande número de burgueses se alistou na ordem, e a religiosidade acabou cedendo lugar ao orgulho, avidez, luxúria, mas sem jamais deixar de defender o papado que lhes deu total liberdade.O Declínio dos Templários
Foi no início do século XIV que, com a liderança de Jacques de Molay a Ordem entrou num período de acusações e decadência, culminando com sua extinção. Isso porque, independente do país onde estavam instituídos, os Templários somente reconheciam a autoridade do Papa. Conseqüentemente, os reis de diversos países em que os Templários habitavam consideravam a ordem com antipatia e desdém. Em 1307, o rei francês Filipe IV, o Belo, colocou seus olhos no tremendo poder político e nas riquezas dos Cavaleiros Templários franceses. Portanto, ele decidiu planejar como derrubar a ordem e confiscar suas riquezas. O rei infiltrou doze de seus homens em diversos comandos dos Templários, esses espiões serviram bem ao rei em seu plano de destruir os Cavaleiros Templários. Quando o rei atacou na alvorada do dia 13 de outubro de 1307, ele estava bem preparado com uma lista de crimes dos quais os Templários seriam acusados. Estas foram algumas das acusações: Heresia contra a Igreja Católica Romana; Adoração a objetos satânicos; Rejeição de Jesus Cristo, exemplificada por rituais onde se cuspia e pisava-se na cruz; Sodomia e outros atos de homossexualidade. Em toda a história, essas acusações são comuns contra ordens que exigem o celibato. O celibato entre homens comumente resulta em práticas homossexuais.
Além dessas acusações, os Templários confessaram a adoração de um ídolo barbudo, aparentemente uma cabeça, a quem chamavam de Baphomet. Mas quem seria esse ídolo? Algumas fontes afirmam o seguinte:
"O símbolo do Baphomet foi usado pelos Cavaleiros Templários para representar Satanás. O Baphomet representa os poderes das trevas combinados com a fertilidade do bode. Em sua forma 'pura', o pentáculo é mostrado envolvendo a figura de um homem nos cinco pontos da estrela - três pontas para cima e duas pontas para baixo, simbolizando a natureza espiritual do homem." (02)
"Baphomet: o bode que era o ídolo dos Templários... Algumas autoridades afirmam que Baphomet era uma cabeça monstruosa, outros que era um demônio na forma de bode.... Uma figura mágica e panteísta do Absoluto. A tocha entre os dois cifres representa o equilíbrio e a inteligência da tríade. A cabeça do bode, que é sintética, inclui algumas características do cachorro, do touro e da mula... As mãos são humanas... elas formam os sinal do esoterismo em cima e embaixo, para transmitir mistério aos iniciados... e apontam para duas luas crescentes... A parte inferior do corpo está coberta... A barriga do bode é bem proporcional... O bode tem seios femininos.... Em sua fronte, entre os chifres e abaixo da tocha, está o sinal do microcosmo, ou o pentáculo com uma ponta na ascendente..."(03).
Mesmo sem ignorar a perseguição política e os interesses comerciais do Rei Felipe, todas as conjecturas apontam para um desvio profundo da primordial vocação ideológica e religiosa que tinham os Templários. Agora eles haviam se tornados esotéricos e defendiam um sistema de doutrina religiosa bizarra, uma mistura de esoterismo, cabala, cristianismo, judaísmo, islamismo... Enfim, em uma salada bem confusa se tornaria a Ordem dos Templários que chegaria, oficialmente, ao seu fim com a sua extinção pelo papa Clemente V em 1313.O Renascimento dos Templários e a Maçonaria
"É provável que a Ordem dos Templários tenha funcionado por algum período na clandestinidade, com seus membros reunindo-se secretamente... Uma das causas de sua subsistência talvez tenha sido a manutenção de atividades secretas, hipótese levantada por alguns historiadores... Não seria surpreendente constatar-se o funcionamento de ordens esotéricas com raízes no movimento dos Templários. Independente de como isso se deu, o fato é que existem algumas organizações que se consideram descendentes diretas da Ordem dos Templários de Jerusalém... Entre essas organizações está a maçonaria... Contudo, nem todos os maçons são Templários. O Templário é apenas uma parte da estrutura maçônica conhecida... Por isso mesmo, assume-se como organização fraternal cristã, fundada no século XI..." (adaptado - 01)
Alguns historiadores acreditam que os Cavaleiros Templários escaparam das perseguições do rei Filipe IV de França e do Papa Clemente V, fugindo para a Escócia e para a Inglaterra, e renomeando o grupo para Maçonaria. A fundação da Grande Loja Maçônica, em 1717, seria o restabelecimento dos Templários.
Sobre a Maçonaria, alguns estudiosos afirmam que ela está ligada às lendas de Ísis e Osíris, do Egito; ao culto a Mitra, vindo até a Ordem dos Templários e à Fraternidade Rosacruz entre outros elementos.Conclusão:
Nosso objetivo, ao descrevermos sobre a Ordem dos Templários, é para esclarecermos três pontos: Primeiro, como os Católicos Medievais absorveram a ideologia Islâmica da Jihad, matando e guerreando de maneira fanática e sem critérios cristãos, visando atingir objetivos de papas e reis. Segundo, para mostrar o desvio dos Templários em sua ideologia religiosa, criando uma religião particular de cunho extremamente duvidoso. E por último, questionar como a Maçonaria, que se arvora mais como movimento filosófico do que religioso, pode se orgulhar de ter em sua etimologia um movimento execrado até pelas instituições medievais.
Enfim, esperamos que as informações aqui passadas possam esclarecer a todos os leitores que estudam tanto o catolicismo como a maçonaria.
Bibliografia

(01) - Silva, Pedro; "História e Mistério dos Templários"; Editora Ediouro, São Paulo - SP, 2001.
(02) - http://www.geocities.com/SoHo/Lofts/6877
(03) - Encyclopedia of Occultism, de Lewis Spence, copyright 1959, publicada originalmente em 1920
(04) - http://www.cacp.org.br/

sábado, 5 de maio de 2012

Conhecendo as Seitas " Seicho-no-iê "

O movimento Seicho-no-iê foi iniciado por Taniguchi Masaharu, nascido a 22 de novembro de 1893, na Vila de Karasuhara, município de Kobe, no Japão. Depois de terminar a escola secundária, apesar da oposição de seus pais adotivos, inscreveu-se na Faculdade de Literatura Inglesa da Universidade Waseda, em Tóquio. Alimentava então idéias pessimistas sobre a vida, e procurava uma explicação lógica do mundo e do homem.
Taniguchi entregou-se ao estudo teórico e prático das ciências psíquicas que exerciam atração sobre ele e nas quais depositava a confiança de que poderiam salvar espiritualmente o homem e a sociedade.
Quando a Primeira Guerra Mundial estava no auge, imperava no Japão uma literatura moralizante, espiritualista e nacionalista. Taniguchi dedicou-se novamente à leitura e descobriu uma sutra budista (daizokio), tirando dela o ensinamento fundamental: "Não existe matéria, como não existem doenças: quem criou tudo isso foi o coração... Segue-se disso que a doença pode ser curada com o coração..." Este conceito tornou-se fundamental no Seicho-no-iê.
Em dezembro de 1922 Taniguchi partiu para Tóquio. Escreveu uma dissertação sobre a natureza religiosa do homem, intitulada: Para a Santidade. Estabeleceu os fundamentos da filosofia de Taniguchi: a "Teologia do movimento Seicho-no-iê". Em 1923 escreveu o livro Crítica a Deus, tendo Judas, o traidor, como herói.
Leu Tanisho, livro escrito por um discípulo de Shinram que desenvolveu a idéia do Tariki (salvação pela fé). Para Taniguchi as pessoas não precisavam de uma religião que lhes incutisse o medo, mas que trouxesse uma salvação amigável. Deixou influenciar-se pelas teorias de Bergson, pela lei da ação criadora do coração do livro de Holmes Zenwicke (americano), pela vontade de poder de Adler. Assim leu psicologia, espiritismo e estudou a ciência cristã.
Recebeu a revelação divina (shinsa): "Não existe matéria, mas existe a realidade"(jissô) - ensino básico do Seicho-no-iê.
"Você é realidade, você é Buda, você é Cristo, você é infinito e inesgotável. "
Taniguchi misturou introspecção psicológica e fenômenos psíquicos curando os doentes através da auto-sugestão.
Tornou-se um verdadeiro feiticeiro do século XX.
Em 1922, Taniguchi lançou uma revista, denominada Seicho-no-iê, em 1936 registrou o Seicho-no-iê mo associação Cultural, e em 1941 transformou-o em seita religiosa centralizada no "Komio", espécie de deus pessoal ao qual se dirigem orações. Depois da guerra, Taniguchi foi expulso pelo general MacArthur; a filha Emiko assumiu a chefia do Seicho-no.iê.
Taniguchi escreveu uma obra de 40 volumes: Simei no Jissô (Verdade da Vida) - livro básico do movimento.
O emblema central do grupo Seicho-no-iê é formado pelo sol, dentro do qual se vê a lua, a cruz suástica, demonstrando a síntese que realizou das grandes religiões. Seicho-no-iê significa abrigo, casa, lar do crescimento, da plenitude da vida, amor, sabedoria, abundância e todos os demais bens em grau infinito.
Circula entre nós a revista Acendedor, órgão do novo movimento, cuja distribuição é gratuita e sistemática, bem como a de uma espécie de calendário com mensagens estimuladoras e positivas.
A Seicho-no-iê não dá qualquer relevância à Bíblia. Cita-a de maneira vaga e parcial, sem identificação e fora de contexto, sem qualquer exegese, interpretação ou explicação; utiliza alguns textos para favorecer a seita. A regra de fé e prática da Seicho-no-iê são os escritos de Taniguchi.
Taniguchi já afirmou que sua religião é superior ao cristianismo porque opera maiores e mais milagres do que Crista. Sente-se com autoridade para interpretar as palavras de Cristo segundo suas próprias convicções.